#Espertalhões

#Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

#Novas Aprendizagens

# Carta ao Senhor Ministro ...

# Primavera

# Se eu fosse um grilo

# Um dia triste

# A Ideia do Timóteo

# A Ideia do Timóteo - II

# A Ideia do Timóteo - I

# Se eu fosse um espantalho

# Espanta-Pardais e Maria P...

# Espanta-Pardais

#Já Aprendemos

# Junho 2008

# Maio 2008

# Abril 2008

# Março 2008

# Fevereiro 2008

# Janeiro 2008

#Visitantes

#Estamos a Ouvir


Aquarela - Toquinho

#tags

# todas as tags

blogs SAPO

#Estamos a Ver

Domingo, 13 de Abril de 2008

Experiência Cultural - IV

Num dia fizemos uma actividade muito engraçada. Os professores Benôit e Veronique contaram-nos uma fábula de La Fontaine, em francês e depois a professora Paula, contou em portguês e a professora Carla mostrou-nos o vídeo.
La Fontaine era um escritor francês que escrevia fábulas, que são pequenos textos, onde as personagens são animais que têm características humanas, com a capacidade de falarem e, todas as fábulas, transmitem uma lição.
“O Corvo e a Raposa” 
 “Le Corbeau et le Renard”
O senhor corvo, numa árvore empoleirado
Maître corbeau, sur un arbre perché,
Segurava no seu bico um queijo.
Tenait en son bec un fromage.
A senhora raposa, pelo odor atraída,
Maître renard par l'odeur alléché ,
Dirigiu-se-lhe mais ou menos com estas palavras:
Lui tint à peu près ce langage :
-Olá! Bom-dia, senhor corvo,
-Et bonjour Monsieur du Corbeau.
Como sois bonito! Como me pareceis belo!
Que vous êtes joli! que vous me semblez beau!
Sem mentir, se o vosso gorjeio
Sans mentir, si votre ramage
For semelhante à vossa plumagem,
Se rapporte à votre plumage,
Vós sois a fénix dos habitantes destes bosques.
Vous êtes le phénix des hôtes de ces bois.
Com estas palavras o corvo não cabe em si de contente;
A ces mots le corbeau ne se sent pas de joie;
E para mostrar a sua bela voz,
Et pour montrer sa belle voix,
Ele abre o grande bico e deixa cair a sua presa.
Il ouvre un large bec laisse tomber sa proie.
A raposa apodera-se dela e diz: "Meu bom senhor,
Le renard s'en saisit et dit: "Mon bon Monsieur,
Aprendei que todo o bajulador
Apprenez que tout flatteur
Vive às custas daquele que o escuta:
Vit aux dépens de celui qui l'écoute:
Esta lição vale bem um queijo, sem dúvida."
Cette leçon vaut bien un fromage sans doute."
O corvo, envergonhado e confuso,
Le corbeau honteux et confus
Jurou, mas um pouco tarde, que não o apanhariam mais.
Jura mais un peu tard , qu'on ne l'y prendrait plus.
(Se quiseres ver o vídeo desta fábula, clica aqui)
Bons Sentimentos:
Boa Música: Gregory Lemarchal - La Bas
Publicado por Espertalhões às 00:34

| Deixe Comentário
|